Como se apaixonar por Paris no Inverno

De Filipa Oitavén | Lifestyle | 06-02-2017
Uma visita a Paris no inverno

No inverno Paris transforma-se. A cidade das luzes dá lugar à cidades dos contrastes de luz. As árvores despidas de troncos escuros contras as fachadas de mármore lavadas pela chuva. Os dias de céu branco a contrastar com os telhados negros. Os candeeiros de rua que se acedem às 5 da tarde nos Champs-Elysées. A neve - se a houver - a emoldurar as esquinas. Mantenha-se quente com castanhas assadas vendidas na rua - bem à tradição portuguesa, e prepare-se para usar mil e uma desculpas para entrar em lojas e cafés e escapar por alguns minutos à temperatura da rua.

Menos #monalisaselfies please

O clima de inverno parisiense pode ser um pouco frio - a temperatura média oscila em torno dos 7° C - mas esta altura do ano trás vantagens. As ruas, cafés e restaurantes não estão a abarrotar de turistas, as filas para o museus são mais curtas, o mood é mais amigável e o ritmo mais lento. Faça como eu e aproveite para se apaixonar por Paris na estação menos provável: o Inverno.

O que visitar

Com os dias frios e curtos, é essencial que planeie visitas/compras/pausas para intercalar com as suas caminhadas nas ruas. Aqui deixamos algumas opões de musea para passar um tarde acolhedora inside.

Fondation Louis Vuitton vale a pena a deslocação aos subúrbios da cidade, tanto pela sua arquitectura espectacular como pela colecção de arte moderna. A exposição "Icons of Modern Art" é um verdadeira viagem pela arte que marcou o ínicio do século XX, com trabalhos de Picasso, Matisse, Gaugin, Monet, Cézanne, Rosseau, Renoir, van Gogh, entre dezenas de outros e pode ser visitada até 5 de Março. O Centre Pompidou localizado bem no centro da acção e à entrada do bairro Les Marais, é sempre uma boa visita. E se já lá foi experimente o Musée du Quai Branly, a um passo da Torre Eiffel. 

Moda & design

Não perca os saldos de inverno em Paris nas Galerias Lafayette. Afinal, o que poderia ser melhor que preços reduzidos na capital mundial da moda? E, para os gostam de se perder em lojas conceito, o bairro Les Marais oferece uma em todas as esquinas. Entre na Fleux para design a preços acessíveis, ou na Cotton Doux, provavelmente a melhor loja de camisas masculinas até à data.

Como se apaixonar por Paris no Inverno

Top restaurantes e bistrôs

Por algum motivo inexplicável, parece que os croissants nunca são tão bons em qualquer outro lugar. Até a mais comuns das patisseries na esquina do hotel vai concerteza cobrir este capricho de pequeno-almoço. Para o resto do dia, tenho mais sugestões suculentas:

Para a refeição favorita dos parisienses, o brunch, não falhe o Big Love Caffé. Perdido numa rua estretinha no bairro de Les Marais, este café-restaurante parece saído de um filme italiano dos anos 70. A sala comprida, a decoração caótica, as prateleiras cheias de produtos importados fundem-se num mix autêntico e acolhedor. Da cozinha aberta, vêm-se os cozinheiros agitados a empurrar pizzas para o forno. No Big Love, o brunch é a hora honrada. Há a torrada de abacate com presunto de Parma, o ricota di Bufala com mel, e o pimentão recheado com ovos e carne de porco picada com mozzarela. Tudo servido com uma variedade de chá ou sumos naturais. Mas a especialidade a não falhar é o brioche caseiro com mascarpone e framboesa. Macio e com um sabor do outro mundo!

Se estiver mais a norte, para os lados do Sacre-Coeur, procure pela La Recyclerie. Um espaço alternativo para os eco'ptimistas com cozinha biológica e ingredientes da própria horta urbana. 

Ao final do dia, comece a noite com um quick snack acochegante no Ippudo. Dizem os franceses que têm as melhores ramen (soupa tradional japonesa) de Paris. Em alternativa - porque há petiscos que só apeteçam no inverno e um deles é o Fondue de queijo - experimente Le Refuge des Fondus, o número 17 da Rue des Trois Frères. Uma experiência diferente é garantida.

Para sair à noite

As ruas entre o Oberkampf, a République e o canal Saint Martin são um dos meus lugares favoritos para sair à noite e ao fim de semana. Um bairro boémio e gay-friendly, com bistrôs de estilo antigo e decoração tradicional, tapas e bares especilizados em cocktails. Foi aqui que encontrámos a Le Comptoir Général, que se define como um "museu do gueto", um espaço de exposição sem fins lucrativos que é um mix livraria, loja de bric-a-brac e bar. O bar  é indiscutivelmente o centro das atenções, provavelmente pelo mobiliário "chique" lado a lado com curiosidades africanas, cadeiras escolares e uma colectânea de curiosidades.

Outro rua de Paris para deambular á noite é a Rue de Lappe. Localizada no coração da Bastille, entre a Rue de la Roquette e a Rue de Charonne, a Lappe é curta mas vibrante e oferece dezenas de bares e restaurantes que atraem principalmente os moradores locais, os expatriados e os estudantes. As opções são diversificadas e cada bar têm a sua própria personalidade: o Le Bazar Egyptien e o Bar des Ferrailleurs  são boas escolhas para os que querem emergir noutras culturas; o charmoso Some Girls Bar é um santuário para os fãs de Mick Jagger; o Le Megalo, um paraíso para os góticos. As personalidades mais filosóficas vão querer entrar no Bastide Existencial, enquanto que os mais terra-a-terra podem encher-se de cerveja e hambúrgueres na Route 66. 

                                                                                             ♥

Et voilà! - este é um resumo dos meus esconderijos favoritos em Paris quando os dias estão cinzentos. Siga o nosso blog de viagem e descobre os favoritos de Fashiola de cidade em cidade.

Love, FilipaFilipa Oitavén
Como se apaixonar por Paris no Inverno DRAFT
Gostou?

Partilhe este blog com amigos!

COMENTAR ESTE BLOG